La Tortue rouge

Um breve pensamento sobre o The Red Turtle dirigido por Michael Dudok de Wit.

Já conhecia o nome Michael Dudok de Wit há anos quando nos primórdios deste século circulava seu curta-metragem Father and Daughter – que é excelente. Lembro de me emocionar muito assistindo esse filme e era o primeiro titulo de curta que aparecia na minha cabeça quando alguém perguntava de bons curtas.

Hoje vi o La Tortue rouge e não pude deixar de me emocionar em vários momentos do filme. Ele é bonito e feito com classe. Sem a pressa dos filmes atuais ou decupagens esquizofrênicas. A história é digna de um conto primitivo de alguma tribo do Pacífico, misterioso – com ecos mitológicos. Lindo. Ainda estou a digerir o filme… Lentamente suas imagens ressurgem durante meu dia.

Apesar da técnica não ser extravagante… nem sua execução perto de perfeita… o filme é muito agradável.
E foi um tapa na minha cara… pois quando eu via o filme eu criticava muito a técnica. Eu queria um pouco mais… Acho que infelizmente são ossos do ofício.

O sentimento e a história estavam lá e foi o suficiente para o diretor. Suficiente para o filme.
Certamente foi suficiente para ficar na minha cabeça e estar me acompanhando por horas a fio…

Espero que consigamos tirar um pouco o pé do acelerador e deixar as histórias respirarem na imperfeição, no tempo e suas pausas.

Say Something